sexta-feira, 7 de julho de 2017

Sr Morpheus

Hoje não hei de falar nada.
Não há nada para ser dito.
foi-se o Senhor Morpheus,
depois de mais de 13 anos.
Não era humano, era humanizado.
Ele me recebia na porta a qualquer hora do dia.
Era o que preferia, era o que mais gostava.
A tristeza que sinto é do tamanho do mundo.
É do tamanho do Sr Morpheus.
Eu nunca fui dono dele,
fui companheiro, parceiro, amigo.
Agora fico comigo mesmo, e sinto sua falta.
Mas na densidade em que vivemos, temos que ter consciência de que podemos e vamos passar por isso:
enterrar grandes amigos e companheiros.
Tenho apenas que agradecer por tê-lo por ter me feito companhia por mais de 13 anos.
Todos vamos passar por isso.
E lembrar que é normal.
Porque é normal.
Porque a densidade é a mais adequada para ter problemas.
Tenho apenas que agradecer ao Criador pela companhia que me foi ofertada e pelos momentos alegres a que fui contemplado.
Gratidão.
H. Víler - 07/07/2017 - o último dia do senhor Morpheus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

seu comentário é bem-vindo