sábado, 21 de maio de 2016

Pastando o Boi - conhecimento desnecessário

Ponho-me a pastar,
 como boi,
As páginas de uma literatura
Que não me interessa...
A metáfora com o bovino
Não se dá ao acaso
São necessários ao menos dois estômagos
Para digerir tamanha desnecessidade
A que sou submetido...
Recorro a uma aula virtual
Na esperança de ver resumida
E explicada a matéria que preciso absorver
Preencho-me de certa animosidade
Ao perceber que o docente é tudo,
Menos professor...
Arranca-me a vontade
E desperta-me os sentimentos mais vis
Que só as almas menos evoluídas podem produzir...
Um ácido estomacal se derrama
Mas não há digestão que suporte
Alguém que se propõe,
Por saber,
A ensinar...
Como se o conhecimento fizesse
Um mestre  - Hércules Víler - Poeta Moderno

Um comentário:

  1. Muito bom poema hein, Sr. Futuro aluno! Um abraço do pessoal de Sardoá: Paraguai, Riva, Timotera e eu, falou Mutley! Quem é, sabe! kkk

    ResponderExcluir

seu comentário é bem-vindo