segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Preguiça do Mundo

Preguiça do Mundo
contemplas tu o ócio
como um pintor contempla a Monalisa
 afanas as sobras do dia de trabalho
 e resfrias as tuas entranhas com levedura engarrafada...
 traja-te com  farrapos de tuas vestes envelhecidas
e praticas um último pecado na poltrona da sala...
afagas teu intestino com as sobras de um pão dormido
enquanto acaricias um felino doméstico
e despretensioso...
aguardas que Hipnos  te leve ao encontro de Morfeu
porque o mundo lá fora já não presta...
 Hércules de Souza Víler -Poeta Moderno...


segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Vivente ou Mortal?

uma pequena reflexão...
não me sinto mortal,
sinto-me vivente...
mas sei que vou morrer,
sei também que só morre quem é vivente,
logo,
não sou mortal,
sou vivente...
não espero a morte,
vivo pelo prazer de viver...
porque escolhi ser vivente
e
não mortal...
objetivo é a vida
e a morte é parte da vida...
é a mesma ideia do copo meio cheio ou meio vazio...
ser mortal é ser meio vazio...
ser vivente é ser meio cheio de um monte coisas boas e ruins típicas de uma vida normal...
Poeta Moderno - H. Víler...

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Homenagem ao Cadete PM morto em MG

A luta e o luto
Hoje não havemos de contar piada
Não se deve e não se podem histórias engraçadas
Pois havemos de nos enlutar na luta desgraçada
Que ceifou o guerreiro na jornada...
O demônio se prepara para emboscada
Não se pode prevê a hora exata
O guerreiro seguia sua estrada
E se deparou com dois demônios e duas espadas
Guerreou como se esperava...
Mas não houvera vencido
(a reação  foi ilibada)
Mas a proporção exagerada...
Fez tombar o guerreiro aguerrido
Não foi um bom combate
Não poderia ter sido...
Cortar na nossa própria carne
Um membro arrancado
Surpreendido
Faz sangrar uma tropa
Como um corpo combalido
Como um pedaço que se perde
Como as dores dos amigos...
Com a vida que se mede
Pelos valores percebidos...
Que o Grande Arquiteto
Receba aquele Ser construído
E lhe dê um local de conforto
Daquilo que lhe for merecido... H. Víler – Poeta Moderno