domingo, 27 de dezembro de 2015

O Valor da Vida

O valor da Vida (baseado em casos reais)
Numa madrugada, uma mulher
Pedia ao enfermeiro para não morrer...
Mas morreu.
Na manhã do mesmo dia,
Uma mulher pulava do quinto andar de um prédio...
Queria morrer... ( eu não sabia)
Mas ela também morreu...
Eu não entendia...
Alguém queria morrer
Alguém não queria morrer
E todo mundo morre...
Mas a morte não podia esperar por uma
E a outra não podia esperar pela morte
Ambas morreram na ordem inversa...
Eu me perguntava se a vida presta,
Ou melhor,
Quanto vale a vida?...
A vida vale tudo
E nada vale...
Mas qual seria o valor da vida?...
A pergunta é vaga...
Talvez a pergunta fosse:
Por que uma pessoa deseja morrer
E outra pessoa deseja viver?
A interrogação é válida...
A valoração da vida
É dada por cada  vivente,
No caso,
Por cada mulher...
Mesmo a vida sendo um presente,
Uma dádiva...
Também é um pote de ouro
Ou um vale de lágrima...
Mas há quem viva bem em ambos os casos
E há quem não viva bem em ambos os casos...
E eu, pasmo, me pergunto:
Alguém realmente não quer viver,
Ou não suporta a vida vivida?
É uma encruzilhada dividida...
E nada responde...
Ou não poderia responder...
Mas arrisco uma resposta:
Talvez, mas só talvez
A diferença entre uma e outra
Está no que se contra no decorrer da vida,
Ou seja,
O que se pretende realizar
No meio do nascimento e da morte
Com um pouco de sorte
Traçamos alguma meta
E não queremos terminar a vida sem atingi-la ...
Por outro lado,
E sem fadiga,
Há quem não tem a tal meta
Ou que desista
Da meta e da vida
Logo
Conclui-se com alguma pretensão
Que após nove meses de gestação
A maioria vai lutar para ir ao mais longe possível
Mas uma pequena minoria
Vai desdenhar o privilégio recebido
Vai magoar parentes e amigo
Caminhará na contramão da natureza
Vai depor contra si mesma
E se condenará
A uma pena capital
Em que o seu algoz é o pensamento de que a vida não vale a pena.

Poeta Moderno – H. Víler

Nenhum comentário:

Postar um comentário

seu comentário é bem-vindo